Tribunal lituano dá razão a Huawei contra jornal

epa07764053 (FILE) - Visitors are seen at the stand of Huawei during the opening day of the Mobile World Congress 2019 (MWC19), in Barcelona, Spain, 25 February 2019 (reissued 09 August 2019) Reports on 09 August 2019 state Huawei has presented their new smartphone operating system, called Harmony OS, at the at the annual developers' conference of Huawei in Dongguan, China, where it was revealed by Richard Yu. Huawei said it would be able to replace current operating system Android at a short notice should the US block the company from using it.  EPA/ENRIC FONTCUBERTA

Lisboa, 16 out 2019 (Lusa) - O Tribunal Distrital de Vilnius, Lituânia, deu razão à Huawei num processo contra o jornal lituano Lrytas devido a um artigo que continha declarações falsas sobre a empresa, divulgou a tecnológica chinesa.

O tribunal ordenou que o jornal publicasse uma comunicação a esclarecer quais eram as declarações falsas que estavam no seu 'site' no prazo de duas semanas após a data efetiva da sentença, bem como a pagar alguns dos custos de litigação da Huawei.

"A Huawei congratula-se com a decisão", afirma a tecnológica, na sua página eletrónica.

Em causa estava o artigo "O gigante chinês também prospera na Lituânia", publicado em 14 de dezembro de 2018.

O artigo referia que desde 2012 vários tipos de dados na sede da União Africana (União Africana) tinham sido transmitidos para os servidores na China durante a noite e que este processo durou cerca de cinco anos, deixando implícito que os equipamentos da Huawei tinham estado envolvidos.

A tecnológica refutou qualquer tipo de envolvimento e considerou que as alegações "prejudicavam seriamente a reputação da Huawei".

De acordo com a tecnológica, "a solução fornecida à UA foi controlada, gerida e operada pela própria equipa de tecnologias de informação" da entidade, pelo que a "Huawei não tem qualquer acesso aos dados", bem como também "não transferiu" informação para lado algum.

Em março de 2019, a Huawei processou o jornal Lrytas UAB, pedindo ao tribunal "que declarasse o artigo falso e obrigasse o título" a "reconhecer as declarações como falsas", refere a Huawei.

O tribunal deu razão à Huawei, "afirmando no seu veredicto que o artigo enganou os leitores e prejudicou seriamente a reputação do negócio da Huawei".

Em 26 de setembro, o Lrytas publicou uma declaração na sua página de Internet, "admitindo que o artigo em questão tinha prejudicado" a reputação do negócio da Huawei, adianta a tecnológica.

 

Alexandra Luís