Governo britânico financia experiência para apoiar jornalismo local de interesse público

Londres, 22 jul 2019 (Lusa) - Um fundo experimental de dois milhões de libras (2,22 milhões de euros) foi hoje anunciado pelo governo britânico para apoiar jornalismo local de interesse público.

"Uma imprensa forte e independente é vital para que uma democracia saudável se desenvolva e o governo está empenhado em garantir a sua sustentabilidade", justificou o ministro da Cultura, Jeremy Wright.

A medida é uma consequência de um estudo publicado em fevereiro sobre os desafios enfrentados pelo jornalismo de qualidade no Reino Unido que inclui recomendações para ajudar a garantir o seu futuro.

A responsável pelo estudo, a ex-jornalista Frances Cairncross, recomendou o financiamento público a abordagens inovadoras para melhorar a oferta de notícias de interesse público, nomeadamente jornalismo de investigação e notícias sobre o funcionamento de instituições públicas.

"A inovação é importante para as organizações de comunicação social, especialmente os meios locais e pequenos sobreviverem e fornecerem notícias de interesse público acessíveis ao mais amplo público possível", afirmou hoje, citada num comunicado.

O relatório descobriu que metade dos adultos britânicos estão preocupados com "notícias falsas" ou desinformação e que 25% não sabe como verificar as fontes de informação que encontra na Internet.

Identificou também que o jornalismo escrito, seja impresso ou em versão digital, é o que produz mais conteúdos originais, mas é também o que corre mais perigo.

Segundo o Ministério da Cultura britânico, que também tem as pastas do digital, as receitas de publicidade impressa caíram mais de dois terços nos dez anos até 2017 e a circulação de jornais locais e nacionais caiu para menos de metade na última década, resultando numa diminuição do número de jornalistas.

Outros dados recolhidos pelo ministério indicam que as despesas com publicidade digital no Reino Unido aumentaram de 3,5 mil milhões de libras (3,9 mil milhões de euros) em 2008 para 11,5 mil milhões de libras (12,8 mil milhões de euros) em 2017.

Porém, estima-se que as plataformas Facebook e Google recebam mais de metade (54%) de todas as receitas de publicidade digital do Reino Unido.

Lusa/fim

Bruno Manteigas