Líder de partido angolano apresenta queixa de difamação contra jornalistas

Luanda, 21 jan 2019 (Lusa) - O presidente da coligação angolana CASA-CE, Abel Chivukuvuku, instaurou um processo-crime por difamação a dois jornalistas da "Rádio Despertar", foi hoje anunciado.

Segundo um comunicado da Direção Nacional de Investigação e Ação Penal (DNIAP) da Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola, os dois jornalistas são convocados para um interrogatório judicial no dia 23 de janeiro, quarta-feira.

Em 2018, o líder da Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), segundo partido na oposição no país, foi acusado pelos membros da coligação de ter "desviado fundos" afetos à força partidária, acusações "recusadas" na ocasião por Chivukuvuku.

Em declarações hoje à Lusa, o jornalista Queirós Anastácio Chiluvia, um dos visados, refutou as acusações do presidente da CASA-CE, afirmando que o órgão de informação tratou o assunto "com o devido rigor", procurando "sem sucesso ouvir o contraditório".

"O que aconteceu foi uma notícia que a Rádio Despertar veiculou, em 2018, sobre a crispação que se vivia naquela altura na CASA-CE onde a fonte da rádio revelou a situação que se vivia naquela altura", disse.

"O que fizemos foi, somente, tratarmos a matéria tal como ela nos foi facultada a também procuramos ouvir o contraditório por parte da acusada, no caso o líder Abel Chivukuvuku bem como de outros dirigentes da CASA-CE, mas não conseguimos", indicou.

Questionado qual será o posicionamento na audição de quarta-feira, o jornalista, sublinhou que os seus "advogados vão provar" que a matéria foi divulgada com a "devida responsabilidade e prudência".

"Os factos lá estão, foram publicados, mas negamos essa acusação segundo a qual teríamos difamado o senhor Abel Chivukuvuku", acrescentou.

Na nota, a PGR angolana refere que apenas foram constituídos arguidos os jornalistas Queirós Anastácio Chiluvia e António Festo, ambos da Rádio Despertar, colocando de parte do deputado da União Nacional para Independência Total de Angola (UNITA), David Mendes, que publicamente também falou sobre o assunto.

No domingo, o deputado da UNITA escreveu na rede social Facebook que também era um dos visados.

"Tomei conhecimento de uma participação criminal feita, contra a minha pessoa, por Abel Chivukuvuko. Espero que o líder da CASA-CE esteja seguro do que está a fazer, porque as provas que tenho contra ele, poderá o levar a ser o primeiro líder da oposição a responder por crime de peculato", avisou David Mendes.

Domingos Silva