Oradores

Carlos Blanco de Morais

Professor catedrático de Direito Constitucional e de Direito Internacional Público, Blanco de Morais é ainda presidente do Grupo de Ciências Jurídico-Políticas, da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. É coordenador científico do Centro de Investigação de Direito Público (CIDP) e jurisconsulto, além de colaborar ocasionalmente com o Expresso e o Público através de artigos de opinião. Foi consultor-principal do Centro de Competências Jurídicas do Estado, presidente do Conselho Fiscal da Fundação D. Pedro IV, consultor para os Assuntos Constitucionais da Presidência da República, consultor-principal do Centro Jurídico da Presidência do Conselho de Ministros e membro do Conselho Superior da Magistratura.

 

Carlos Cabreiro

Com 52 anos, Carlos Cabreiro, licenciado em Direito, é diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T). Ingressou na Polícia Judiciária em 1991, onde foi subdiretor nacional adjunto na área da investigação da criminalidade económico-financeiro. Desde 1992 que desempenha funções ligadas à investigação da criminalidade informática. Formador da Escola de Polícia Judiciária, nas áreas da criminalidade informática, direito penal e direito processual penal, representa também a PJ em vários fóruns e grupos de trabalho relacionados com esta temática.

 

Walter Dean

Nos últimos 15 anos Walter Dean trabalhou com mais de 10 mil jornalistas em todo o mundo para entender melhor os princípios e identificar as práticas que distinguem o jornalismo de todo o universo dos media e da informação. Dean foi diretor associado do Pew Center for Civic Journalism, associado sénior do Project for Excellence in Journalism e dirige a Universidade do programa de verão da Washington Summer School da Missouri Journalism School. Dean foi jornalista de televisão durante 30 anos, primeiro como repórter, depois pivot e mais tarde tornou-se diretor de notícias numa estação de TV local. Nos últimos dois anos lecionou o curso de Elementos a estudantes de mestrado.

 

Eduardo Ferro Rodrigues

Eduardo Ferro Rodrigues é o atual presidente da Assembleia da República. Nascido em novembro de 1949, Ferro Rodrigues foi secretário-geral do Partido Socialista entre 2002 e 2004. Licenciado em Economia, o presidente da Assembleia assumiu o cargo de representante permanente de Portugal na OCDE entre 2005 e 2011.

 

Fernando Garea

Fernando Garea Baragaño é presidente da Agência EFE, a agência de notícias espanhola, desde 27 de julho de 2018. Nascido a 19 de dezembro de 1962, em Madrid, tem um longo percurso em diferentes meios de comunicação, tendo-se especializado em crónica parlamentar e análise política. Mas no seu currículo conta também com trabalho publicado em diferentes meios de informação judicial e sobre terrorismo, fazendo a cobertura de julgamentos e processos judiciais relevantes, assim como casos de investigação ligados a destacados casos de corrupção. Estudou Ciências da Informação na Universidade Complutense de Madrid, até 1982, trabalhou nos jornais Diario 16, La Voz de Almería, Faro de Vigo, El Mundo, Público, El País e El Confidencial. No El Mundo foi chefe de Redação na secção de Nacional, coordenando uma equipa de jornalistas desde a fundação, em 1989, até à sua saída, em 2007. A partir de 2008 foi correspondente parlamentar do El País, altura em que criou o blogue El Patio del Congreso, que recebeu o Prémio Enrique Padrós de melhor blogue político de 2009.

 

Graça Fonseca

Graça Maria da Fonseca Caetano Gonçalves nasceu em Lisboa, em 1971. Doutorada em Sociologia pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, com mestrado em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Foi investigadora do Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, entre 1996 e 2000. Foi vereadora na Câmara Municipal de Lisboa com os pelouros da Economia, Inovação, Educação e Reforma Administrativa, entre 2009 e 2015. Exerceu funções como chefe de Gabinete do ministro de Estado e da Administração Interna e do secretário de Estado da Justiça, no XVII Governo Constitucional (2005-2008). Foi ainda diretora adjunta do Gabinete de Política Legislativa e Planeamento do Ministério da Justiça, entre 2000 e 2002, e secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa no XXI Governo Constitucional, desde novembro de 2015. Foi nomeada, no dia 14 de Outubro de 2018, ministra da Cultura do XXI Governo Constitucional.

 

José Magalhães

Deputado à Assembleia da República desde a III Legislatura (1983), é membro da Comissão de Cultura, Comunicação e Sociedade de informação e representa o Parlamento português no Conselho Superior de Segurança do Ciberespaço. Foi secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna e secretário de Estado da Justiça e da Modernização Judiciária nos XIV, XVII e XVIII governos constitucionais, respetivamente. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa e mestre em Ciências Jurídico-Políticas pela Faculdade de Direito de Coimbra, foi consultor independente em Tecnologias de Informação nas áreas de Modernização e Simplificação Administrativas, Governo Eletrónico e Combate ao Crime, é comentador político, escreveu vários artigos em revistas jurídicas e de ciências sociais e é autor de inúmeros livros.

 

José Pacheco Pereira

José Pacheco Pereira nasceu no Porto, em 1949. Participou na luta contra a ditadura antes do 25 de Abril. Foi professor de vários graus de ensino. Foi deputado na Assembleia da República e no Parlamento Europeu, e dirigente do PSD. Publicou mais de uma dezena de livros sobre História e Política. Colabora regularmente na imprensa escrita, na rádio e na televisão. É autor do programa da SIC Notícias Ponto Contraponto e faz parte do painel do mais antigo debate político português a Quadratura do Círculo, que transitou para a TVI agora com o título a Circulatura do Quadrado. É autor dos blogues Abrupto, Estudos sobre o Comunismo e Ephemera. Dedica-se desde há muito à preservação de livros, periódicos, documentos e objetos ligados à memória da história contemporânea portuguesa. Criou e mantém o Arquivo / Biblioteca Ephemera, o maior arquivo privado português.

 

Luísa Meireles

Nascida em Angola, Luísa Meireles é licenciada pela Faculdade de Direito de Lisboa. Abandonou a advocacia ao fim de 10 anos para se dedicar por inteiro ao jornalismo em 1989, data em que começou a trabalhar de forma permanente no jornal Expresso. Tem uma pós-graduação em Estudos Europeus pelo Instituto de Estudos Europeus da Universidade Católica de Lisboa e o curso de auditora do Instituto de Defesa Nacional. É membro do Centro de Estudos Eurodefense-Portugal e da Association Euromed- IHEDN (Institut des Hautes Etudes de Défense National). Como jornalista, cobriu como enviada especial os anos do fim da União Soviética e a transição de regimes em todo o centro e leste europeu, incluindo as guerras dos Balcãs. Especializou-se nas áreas de Defesa e Segurança e Assuntos Europeus. Foi editora de Internacional do jornal Expresso entre 2000-2006 e, entre 2006 e 2018, redatora principal na secção de Política deste jornal. Em outubro de 2018 assumiu o cargo de diretora de Informação da Lusa – Agência de Notícias de Portugal. Publicou o livro "E Depois do Iraque?", em parceria com o general Loureiro dos Santos (2003), bem como "General Loureiro dos Santos - uma biografia" (2018).

 

Marjory van den Broeke

Marjory van den Broeke é a chefe da Unidade do Porta-Voz do Parlamento Europeu. Antes disso, foi dirigente da Unidade de Imprensa. Começou a trabalhar no Parlamento Europeu no final dos anos noventa, depois de já ter trabalhado em diferentes meios de comunicação social na Holanda, incluindo a Associated Press e no Serviço Mundial de Rádio da Holanda. Marjory estudou Literatura Inglesa e Linguística, assim como Ciência Política. 

 

Mar Marín

Apaixonada pelo jornalismo, Marín trabalhou em jornais, rádio e televisão, mas desenvolveu a maior parte da sua carreira na Agência EFE, primeiro em Espanha e depois na América Latina, liderando as redações do México, Cuba, Argentina e Brasil, o seu último destino antes de aterrar em Lisboa. Lembrando as palavras de García Márquez, diz que o jornalismo é o melhor trabalho do mundo, mas também um dos mais ameaçados. Atenta aos novos desafios, afirma-se uma firme defensora do uso deste maravilhoso ofício para garantir o bem comum.

 

Nicolau Santos

Nicolau Santos, jornalista e Presidente do Conselho de Administração da Lusa – Agência de Notícias de Portugal desde 21 de março de 2018. Membro da direção do Expresso desde 1998 até 2017, enquanto diretor adjunto e co-apresentador do programa da SIC Notícias "Expresso da Meia-Noite", colaborou anteriormente com o Jornal de Notícias e variados diários económicos. Comentador para assuntos económicos da RDP-Antena 1 desde janeiro de 1998 e Colunista dos Cadernos de Economia. Membro cooptado do Conselho de Escola da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Autor de 5 obras publicadas, sendo a última "No Interior da Pele a Geografia dos Poemas" (2018). Nicolau Santos foi condecorado com a Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República Jorge Sampaio, recebeu a Medalha de Prata da Associação Industrial Portuguesa, por ocasião dos 170 anos da AIP e o Prémio Pró-Autor da Sociedade Portuguesa de Autores pela divulgação da poesia portuguesa.

 

Paulo Pena

Paulo Pena é jornalista profissional desde 1998. Iniciou a sua especialização em jornalismo de investigação na revista Visão, onde foi editor da secção de Política e coordenador da equipa de projetos investigativos. Recebeu, em 2001 e 2013 dois Prémios Gazeta do Clube de Jornalistas (Revelação e Imprensa Escrita), bem como várias outras distinções (Prémio de Jornalismo Económico Santader/Universidade Nova, Prémio Cáceres Monteiro, entre outros). No jornal Público foi grande-repórter entre 2013 e maio de 2018. Em janeiro de 2016 fundou o primeiro grupo permanente de jornalistas de investigação europeu - Investigate Europe, que junta nove jornalistas de oito países europeus. Deu aulas e conferências na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, na Universidade de Coimbra e na Universidade da Beira Interior. Desde maio de 2018 é grande-repórter do Diário de Notícias, co-responsável  pela edição do caderno 1864. Foi recentemente escolhido pela Fundação Calouste Gulbenkian como bolseiro da sua primeira edição do projeto de apoio ao jornalismo de investigação.

 

Tina Zournatzi

Tina Zournatzi é atualmente chefe da Unidade de Comunicação Estratégica na Direção Geral de Comunicação da Comissão Europeia. Nesta função ela supervisiona campanhas de comunicação corporativas ao nível pan-europeu. Nascida na Grécia, Zournatzi é mestre em Relações Internacionais pela Escola de Estudos Internacionais Avançados da Universidade John Hopkins e licenciada em Ciências pela Universidade de Georgetown.